Óleo de coco para emagrecer pode ter efeito contrário se for usado em excesso

oleo_de_coco

O óleo de coco vem sendo cada vez mais usado nas dietas de quem quer emagrecer. Fonte de ácido graxo, a substância ficou famosa por estimular o metabolismo e a queima de gordura. Mas é preciso ter atenção ao consumo. Por se tratar de um alimento calórico, o óleo deve ser usado com moderação e seguindo as orientações de um especialista.

A nutricionista Orion Araújo explica que o óleo de coco é uma gordura boa, mas em excesso pode engordar e aumentar o risco de doenças cardiovasculares. “É um alimento funcional, ou seja, é um alimento que nutre. Ele tem nutrientes que são fontes oxidantes, que é um ácido graxo monoinsaturado que  em uma quantidade de acordo com o exercício que a pessoa faz, o peso da pessoa, a estatura da pessoa, a idade, enfim, ele inserido numa dieta balanceada, uma dieta equilibrada, ele faz bem à saúde. Desde que a pessoa consuma dentro de uma quantidade de acordo com a necessidade do dia e com o gasto calórico do dia”, explica Orion.

A nutricionista recomenda não ingerir mais do que duas colheres de óleo de coco ao dia. “O consumo deve ser de umas duas colheres de sopa. Só que essas duas colheres de sopa é para gordura total na dieta da pessoa. Quando digo gordura, me refiro à gordura boa que são as gorduras mono e poli-insaturadas. Então, vamos supor se a pessoa cozinha com óleo de coco. Essa quantidade já vai ter que estar embutida no almoço ou no jantar, para a refeição que ela está preparando”, destaca.

Orion alerta ainda que é preciso procurar orientação de um profissional da saúde antes de começar qualquer dieta, já que a quantidade de calorias indicada para cada pessoa é diferente.

Fonte: www.blog.saude.gov.br/oleo-de-coco-para-emagrecer-pode-ter-efeito-contrario-se-for-usado-em-excesso/